Lar Style

Dicas

Decoração de quarto: conheça os 5 sinais de que está na hora de trocar o seu colchão

Sabia que nem todo o item de decoração de quarto é para sempre? Sabemos que você adora se jogar naquele colchão fofinho da sua cama. Porém, pode ser que esta peça não esteja mais na sua melhor condição! Mas será que chegou mesmo a hora de trocá-la? Neste texto lhe ensinamos a identificar todos os sinais! Confira!

Clique nas imagens para mais informações.

Leia também: Saiba como limpar colchão com 5 técnicas infalíveis

Conheça aqui o Guldi, a linha de colchões de mola ensacada da Mobly. 

trocar_o_seu_colchão_6

Oliveira Arquitetura

 

#1 Sinais visuais e sonoros

Um colchão com formato afundado, moldado de acordo com contorno do nosso corpo, não pode fazer bem. Tem casos que até o preenchimento se desloca! De repente, o desgaste do seu diâmetro começa a ficar visível. Sua camada externa fica deteriorada. E ele range com qualquer movimento do usuário. Isto acontece porque sua validade expirou – normalmente depois de 5 ou 10 anos de uso.

trocar_o_seu_colchão_8

Revista Viva Decora; e Fernanda Peçanha

#2 Sinais táteis

Um colchão muito velho começa a ficar com partes estranhas, totalmente irregulares. Só num simples toque já pode-se perceber a perda de firmeza da sua espuma. Além do aparecimento de manchas em seu tecido de camada externa, começam a surgir também pequenas bolinhas, sinais de um desgaste extremo da peça.

trocar_o_seu_colchão_5

ACF Arquitetura

#3 Saúde corporal

A maioria das pessoas só percebe que o colchão de sua cama está velho quando fica com a sua saúde debilitada. O sinal mais óbvio são as constantes dores nas costas. Mas tem vezes em que a pessoa apenas acorda cansada. Ela simplesmente não consegue dormir, não completa bem o ciclo; e sente pressão em várias partes do seu corpo ao longo do dia. De repente, desenvolve um quadro de alergia respiratória. Tudo isto por conta do seu colchão!

Ao longo de sua vida útil, o colchão pode ser exposto a várias condições. Por exemplo, de umidade, calor excessivo, poeiras e pragas. Muitas dessas coisas podem provocar a deterioração da peça. Em consequência, tudo isto afetará a saúde do usuário – por vezes de forma bastante grave. Assim sendo, muita atenção! Ao primeiro sinal desses sintomas, o colchão deverá ser jogado fora – nem mesmo podendo ser doado!

trocar_o_seu_colchão_2

Meraki | Engenharia e Arquitetura

 

trocar_o_seu_colchão_7

MORAR MAIS POR MENOS GOIÂNIA 2017

#4 Mudança tecnológica

Há muitas outras razões que fazem uma pessoa preferir trocar o seu colchão – mesmo que ele ainda esteja dentro do prazo de validade e em boas condições. Por exemplo, pode acontecer dela mudar a sua condição física ao longo dos anos e assim, preferir buscar uma nova tecnologia, que a ajude a melhorar a sua saúde. Inclusive, já existem alguns modelos de colchões que prometem atuar na articulação muscular e pressão sanguínea.

Porém, os especialistas alertam para falsas promessas de fabricantes! O médico Ricardo Costa Dias ressaltou, em reportagem de G1, que “Sempre que você procurar um produto que tem a indicação terapêutica, veja se existe um registro na Anvisa, porque para fazer esse registro você precisa de pesquisa científica e laudos técnicos, o que muitas vezes você não encontra nesse tipo de produto.”.

Leia também: 13 Maneiras de ter uma casa sustentável gastando muito pouco

trocar_o_seu_colchão_1

Rico Mendonça

#5 Decoração

Por fim, tem mais duas coisas que podem te convencer, neste momento, a trocar o seu  colchão da cama. A primeira delas é a busca por mais conforto! Os colchões de mola – principalmente para cama box – são bem mais resistentes e adequadamente densos a vários perfis físicos – isto em comparação aos colchões tradicionais, de espuma e com menos espessura.

A segunda coisa é a melhora da decoração de quarto. Uma cama mais alta, por exemplo, pode deixar o cômodo parecendo mais imponente e sofisticado. E algo que desvaloriza demais o visual do cenário da decoração de quarto é quando a peça de colchão é muito menor ou muito maior que a base da cama ou estrado. A regra é a seguinte: que essa medida não ultrapasse mais do que um dedo entre a borda externa do colchão e a borda interna da cama!

Agora, à partir de todas as dicas que lhe passamos, você provavelmente já será capaz de avaliar as condições do colchão da sua cama. Vá até o seu quarto e identifique os sinais! Então, responda: está ou não na hora de trocar a peça?

Leia também: Decoração com nichos e prateleiras: saiba tudo sobre o assunto

 trocar_o_seu_colchão_3

Cristina Barbara

 

 trocar_o_seu_colchão_4

Bordin & Soares; e Revista Viva Decora

 

Estas dicas de decoração de quarto foram criadas pela equipe Viva Decora.

    Comente

    instagram @mobly

    Copyright © 2017 Mobly.com.br. Todos os direitos reservados.